Na Terra dos Deuses

Olá a todos!

Sabem aquelas viagens que fazem sem grandes expectativas, mas que depois adoram e não conseguem deixar de falar delas?? Foi assim a minha passagem por Atenas.



Como chegámos

O aeroporto ainda fica relativamente longe do centro de Atenas. Depois de aterrar optámos por apanhar o metro. Pela manhã só havia de 30 em 30 minutos e o valor de cada bilhete é 10€ (caríssimo) e só é válido por 90 minutos!! Demorámos cerca de 1 hora a chegar à praça Syntagma.
E aproveito desde já para deixar um aviso! Não só em Atenas, mas em qualquer local: tenham sempre muito cuidado com as mochilas! Assim que saí do metro, fui logo roubada! Abriram a minha mochila e ainda conseguiram tirar 2 pares de óculos de sol. Talvez não tenham tirado mais nada, porque me pareceu que senti algo e me virei para trás. Dei de caras com um rapaz que rapidamente nos ultrapassou e foi para o outro lado da rua.
Claro que desde então tenho um cuidado redobrado com a mochila. Não só em Atenas, mas em Lisboa no dia a dia ou em qualquer lugar que vá.
Pensámos que fosse um mau presságio para o resto das férias, mas não foi. Não podiam ter corrido melhor :)

Onde ficámos

Desta vez alugámos um pequeno apartamento pelo Airbnb. A anfitriã foi super simpática e deu-nos todas as indicações em termos de restaurantes para as várias refeições do dia e onde podíamos encontrar os melhores preços e os melhores produtos. Para além disso, o apartamento estava impecável em termos de limpeza e a localização é, sem dúvida, nota 10 (em 10)!



O que visitámos

Nesta viagem tivemos que condensar três dias em apenas dois devido a um problema com o voo. Contudo, penso que vimos o principal.
O apartamento onde ficámos estava localizado em Plaka que é um dos bairros mais icónicos e turísticos da cidade. Aqui encontramos imensas lojas de souvenirs e os pacatos restaurantes, dos quais já falei aqui. Basicamente a partir daqui conseguimos facilmente visitar todos os pontos turísticos principais. Posso adiantar que andámos sempre a pé e não sentimos necessidade de utilizar qualquer outro meio de transporte.



Em relação a monumentos, o primeiro que visitámos não podia ser outro a não ser a Acrópole. Uma vez que chegámos nessa manhã a Atenas (o voo foi durante a noite), não conseguimos mesmo ir mais cedo, mas eu aconselho a visitar logo pela manhã. Não só para evitar o calor excessivo, mas também para não mergulhar naquele mar de gente que anda por lá às 10h30-11h! Nós comprámos um bilhete que custou 30€ e que nos permitiu ver quase todos os monumentos (ruínas) mais célebres da cidade.

Até chegar à Acrópole propriamente dita, passámos pelo teatro de Dionísio.


Neste ponto é preciso ter alguma imaginação para conceber como era nos seus tempos áureos, uma vez que só restam as ruínas. Na verdade, ao longo desta publicação vão perceber que quase tudo o que se vê são ruínas e que às vezes nem com muita imaginação conseguimos chegar lá. Foi neste teatro que se começaram a fazer as primeiras celebrações em homenagem a este que era o Deus do vinho e do teatro. Mais à frente encontramos o Teatro Herodes Atico que está embutido nas rochas e onde atualmente se continuam a realizar vários eventos. A vista é realmente de cortar a respiração.


Quando li sobre a Acrópole propriamente dita achei toda a informação muito confusa! Mas uma vez lá acaba por ser mais simples de perceber. O Propileu é o enorme portal para a parte sagrada da Acrópole. Como uma boa parte ainda está de pé acaba por ter impacto e deixa-nos fascinados.


Depois temos o Partenon que é o templo principal (a cara) de Atenas. Consta que está sempre em obras, por isso não achem estranho verem andaimes e afins quando o visitarem.


Podemos ainda ver o Erecteion que é o templo dos deuses do campo e onde se encontram as colunas em forma de mulher. Devido aos efeitos climáticos e à poluição, estas colunas foram substituídas por cópias, estando as originais no Museu da Acrópole. Por fim, o Templo de Atena Nike é o símbolo da harmonia do estado de Atenas.


Perto da Acrópole encontramos efetivamente o famoso Museu da Acrópole onde encontramos uma coleção fascinante dos objetos e estátuas encontrados no local durante as escavações e também explicações acerca da reconstituição das peças. Vale a pena visitar!


Depois do monumento mais esperado, parámos na Biblioteca de Adriano. Para quem adora livros, visitar uma biblioteca era qualquer coisa de fantástico. Mas fiquei profundamente desiludida! Está tudo tão destruído que quase nem se encontram ruínas... quanto mais conseguir sequer imaginar como era antes da destruição!


De seguida rumámos até à Ágora Antiga. Esta era a zona mais nobre da cidade, onde ocorriam reuniões e debates políticos, atividades mercantis, celebrações religiosas, atuações teatrais e competições desportivas. A maior parte dos edifícios está destruída; contudo, é possível visitar o museu de Ágora que contém diversas peças e esculturas encontradas em escavações arqueológicas e também é possível entrar numa pequena igreja que está em bom estado de conservação. Mas o que se destaca mais é o lindo Templo de Hefaesto (Deus grego da forja) que estava localizado numa zona da cidade dedicada ao trabalho dos metais.


Depois da Ágora Antiga foi a vez de visitar a Ágora Romana que era um dos principais locais de Atenas relativamente às atividades administrativas, políticas, comerciais e sociais. Não é tão ampla nem imponente como a Ágora Antiga, mas vale a pena contemplar a Torre dos Ventos que servia como relógio solar, relógio de água e cata-vento (na foto) e a Mesquita. Aqui, na altura que visitámos, estava a decorrer uma exposição interessante de fotografias sobre a 2ª Guerra Mundial.


Gostei do Templo do Zeus Olímpico! Apesar de só se encontrarem de pé cerca de 15 colunas (que parece que uma pola de vento é capaz de derrubá-las) das 104 originais, dá para perceber a imponência daquele que é o maior templo grego. Muito perto encontramos o Arco de Adriano que separava a cidade antiga da moderna.



Por fim, temos o Kerameikos que é a maior necrópole da Grécia. Embora se localize um pouco mais afastado, dá perfeitamente para ir a pé. Aqui encontrámos diversas lápides e construções funerárias dos antigos cidadãos atenienses. É um local enorme e de uma tranquilidade imensa. Até encontrámos uma tartaruga enorme que não teve medo em se aproximar de nós!



Mudando agora um pouco de tema; de ruínas passamos para desporto. É na Grécia que encontramos o Estádio Panatenaico que é aquele onde decorreram os primeiros jogos olímpicos da era moderna. Tem a forma de U e é bastante grande. Podemos passear pelas bancadas, no campo e até subir ao primeiro lugar do pódio! No estádio existe audioguia em português e que já está incluído no preço. Aconselho a adquiri-lo, pois vale muito a pena.



A praça Syntagma é das mais conhecidas, sendo lá que se localiza o Parlamento. Para quem já viu o Parlamento de Budapeste, este desilude que se farta! Mas aqui há algo único: os evzones. São os soldados da Guarda Nacional que vestem um uniforme engraçadíssimo. A troca de guarda dá-se de hora a hora, mas eu aconselho a assistir à marcha no Domingo por volta das 10h, onde estão presentes todos os guardas.



Muito perto estão localizados os Jardins Nacionais. Aqui pode-se desfrutar da natureza e encontramos vários animais pelo meio daqueles caminhos labirínticos.


Ficou por ver a colina Lykabettus, onde esperavamos contemplar um fantástico pôr-do-sol sobre a Acrópole. Ainda tentámos, mas começou a cair uma carga de água que nos fez voltar para trás. Portanto, a única coisa que vimos foi um grande arco-íris!

No geral, em relação ao tempo, parece que apanhámos bom tempo: cerca de 28-29ºC. Contudo, parecia que estavam 40ºC, tendo em conta o calor que se fazia sentir. Por isso aconselho roupa fresca, protetor solar, óculos de sol e  chapéu para quem planeia a visita a esta cidade maravilhosa. E claro, umas sapatilhas dão sempre jeito para andar entre tantos calhaus (diga-se, ruínas). :)

Beijinhos

Comentários

  1. Óptimas dicas, parece espetacular! Por acaso Atenas é um destino que me fascina imenso, acho a cultura super interessante mas não adoro sítios cheios de gente.. Talvez numa altura que não o Verão fosse o ideal para mim.

    By Joana Lino ♡

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! É mesmo espetacular. Mas também me disseram que tive sorte em ficar na parte "velha" da cidade, pois a mais "nova" não é muito impressionante! Particularmente para quem não se dá bem com o calor, o verão também não é boa opção. Quando estavam perto de 30 graus parecia que estavam 40!

      Eliminar
  2. Sou apaixonada pela Grécia Antiga. Que linda viagem, a descrição... Fiquei deliciada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Na verdade não fui com grandes expectativas para Atenas, mas é impossível não gostar quando se visita. Também fiquei apaixonada pela Grécia Antiga :)

      Eliminar

Publicar um comentário