18 setembro 2019

Um Sonho de Verão

Olá,

Sei que tenho andado mais desaparecida que o habitual. De repente apareceram n coisas para fazer e uma pessoa nem sabe para que lado se deve virar.

Mas espero voltar em força, pois tenho imensas ideias a fervilhar na minha cabeça sobre temas que vos quero trazer.

Com algumas nuvens a ameaçarem os próximos dias, quase fica mal mostrar um look tão veranil, mas eu gostei tanto dele que não era capaz de guardar só para mim.

Usei em Santorini, nas minhas férias de sonho, onde o azul e branco são as cores rainha. Senti-me tão fresca e confortável que acho que vale a pena partilhar.

Espero que gostem e que possa inspirar quem ainda tem férias para aproveitar. :)

Beijinhos








24 agosto 2019

Mariana, a exploradora!

Olá a todos,

Ao contrário do que aconteceu em Barcelona, na Grécia escolhi os outfits de acordo com o local.

Este que trago agora não é roupa de deusa grega (o que também podia ser uma boa ideia), mas é mais prático para quem quer passear, ver e conhecer!

Quando estudei o que se podia visitar em Atenas (e que trarei numa publicação em breve), a passagem pela mítica acrópole e pelas ruínas espalhadas pela cidade despertaram a minha veia exploradora. Não sei se é de mim ou se é geral, mas relaciono os passeios pelas ruínas a cores como o verde seco, o bege e os laranjas.

E é nessa ordem de ideias que trago aqui uma proposta de outfit destinada a este tipo de explorações.

Espero que gostem.

Beijinhos e continuação de bom fim de semana.







10 agosto 2019

A maravilhosa gastronomia grega

Olá a todos,

Hoje trago um post cheio de coisas boas!

Agradar-me à mesa é uma tarefa difícil, uma vez que eu sou um pouco... seletiva! Mas voltava à Grécia só pelas refeições, por isso podem imaginar como a comida grega é realmente BOA!

No ano passado estive em Itália e posso dizer que a hora da refeição foi sempre um autêntico martírio. Para quem não gosta de queijo, as opções não são muitas. E se juntarmos o não gostar de marisco, cogumelos, ananás e mais uma série de coisas... é para esquecer! Mais vale andar a sandes de Nutella o dia inteiro!
Para quem me acompanha aqui no blog sabe que este ano já estive em Espanha e que vim de lá deliciada com as Tapas! Para alguém tão seletivo é fantástico... Porque de vários pratos, algum se há-de gostar!

Mas na Grécia é tudo maravilhoso! Não temos que pedir vários pratos para gostar de um porque são todos deliciosos! E o melhor... a dieta mediterrânica é uma das mais saudáveis do mundo!


Mas antes de mostrar os restaurantes e as iguarias que provámos tenho que dizer que, na zona onde ficámos em Atenas (Plaka, uma das zonas mais turísticas da cidade), não era só a comida que era apetecível. As mesas pequeninas e delicadas com as toalhas  aos quadradinhos e todas perfeitamente arrumadas convidavam qualquer um a sentar.


E a nossa viagem gastronómica começa em 3... 2... 1...

Vyzantino Taverna - Atenas, Plaka

Foi o primeiro sítio onde nos sentámos e decidimos optar por um prato típico grego: gyros. Este não é nada mais nada menos que um kebab (carne de churrasco às tirinhas). Vinha realmente bem servido. Mais tarde voltámos a pedir este prato em Oia (famosa localidade de Santorini), mas não ficámos tão bem impressionados como neste primeiro encontro com este prato.


Pantheon - Atenas, Plaka

Este restaurante foi-nos indicado como pastelaria. E chegámos a comprar mercearia nesse sentido. Quando chegámos para jantar não havia mais clientes, o que nos pareceu estranho. Contudo, não vacilámos. Pedimos uma grelhada mista para dois e posso dizer que foi um dos meus pratos preferidos nesta viagem. Trazia tudo aquilo a que temos direito: vários tipos de carne perfeitamente confecionadas, batatinhas, dois tipos de molhos, saladas variadas e o famoso pão pita que acompanha grande parte dos pratos.
Só de pensar nesta refeição quase começo a salivar! Estava mesmo muito bom! E, por incrível que pareça, foi dos jantares mais baratos!!


MamaLena - Fira, Santorini

Depois de alguns dias a comer carne, decidimos optar por uma mista grelhada de peixe num restaurante indicado pelo rececionista do hotel. Posso dizer que foi o restaurante onde pagámos mais, mas menos gostámos do prato. Pareceu-nos que a maior parte do peixe não era fresco e as sardinhas... coitadinhas! Nem imagino pelo horror que passaram! Quase desfeitas e com uma rodela de tomate lá dentro, não nos deixou com vontade de comer mais. O pessoal foi simpático; sendo que no fim até nos ofereceram a sobremesa e deram-nos a provar o Ouzo que é uma bebida alcoólica típica de lá (que não adorámos). Mas mesmo assim, não voltámos.




Fanari Restaurant - Fira, Santorini

Este foi o primeiro restaurante com uma vista fantástica e romântica para o mar. Bom e relativamente barato. Eu optei por um Souvlaki de frango. Os Souvlakis basicamente são espetadas. A carne estava boa e muito bem acompanhada como se vê pela fotografia. A minha cara metade optou pela Moussaka que é um dos pratos gregos mais típicos e populares. É semelhante à lasanha, mas não tem massa. Provei e gostei! Aliás, gostámos tanto deste restaurante que voltámos!




Restaurant em Perissa

Mesmo colado à praia e com uma vista de fazer inveja, neste restaurante (que não me recordo do nome) quis um prato mais levezinho e pedi uma salada César. Devia estar num mood fantástico, pois eu não sou pessoa de saladas e esta... comi e chorei por mais! Fez-me ver que posso ser saudável se quiser!!

Lithos

Este foi o restaurante com melhor vista. Aqui voltei a pedir um Souvlaki, mas desta vez de peixe-espada. Não adorei! Não estava mau, mas os pratos de carne ganharam pontos nesta viagem. Aqui provámos uma das sobremesas mais conhecidas, com origem no Médio Oriente: a Baklava. É um doce bom, mas até eu que sou "doceaólica" achei que era too much em termos de doçura!




Outras apreciações

Tzatziki - é um molho de iogurte com alho e pepino que nem é preciso pedir, pois acompanha imensos pratos.

Iogurte grego - é ótimo! Não houve um pequeno-almoço em que não comesse iogurte grego! Ir à Grécia e não comer este iogurte é pior que ir a Roma e não ver o Papa.

Os supermercados - Em Plaka (Atenas) só encontrámos aquelas pequenas mercearias que vendem de tudo um pouco. Achei tudo caríssimo tendo em conta o tipo de estabelecimento. Cada garrafa de água de 1,5L custou cerca de 0,8€ e o pacote de leite mais barato e mais básico custou 1,9€! Por outro lado, em Santorini os preços dos supermercados eram muito mais em conta. Também gostei de ver que lá, no que diz respeito às frutas, temos opção de utilizar saco de plástico ou de papel.

E vocês, gostaram desta viagem gastronómica? Deu vontade de experimentar estas iguarias?

Beijinhos

21 julho 2019

Vicks Vaporub no combate à celulite: mito ou realidade?

Olá :)

Com o tempo de praia a aproximar, as preocupações com a celulite são redobradas.
Quem não quer exibir umas pernas lindas e deslumbrantes neste verão?

Eu fui brindada com toda a celulite a que tenho direito (e mais alguma certamente!!). Isso de dizerem que apenas as pessoas com excesso de peso a têm é um mito autêntico! A genética, a má alimentação e a falta de exercício desempenham papéis muito mais importantes.

Tirando os tratamentos estéticos, estou farta de experimentar tudo e mais alguma coisa contra esta mal-amada celulite!

Portanto, assim que soube que o Vicks Vaporub podia ajudar, comprei logo para experimentar.

Aqui deixo os resultados da minha experiência.

Como atua

O Vicks Vaporub é aquele remédio milagroso, não só para o que está indicado (congestão nasal, gripes e constipações), mas para tudo o que é maleita. Basta fazer uma pesquisa rápida no google que, de entre muitas outras aplicações, encontramos que pode ser usado para dores de cabeça, dores de ouvidos e até para colocar nos móveis para que os gatos não os estraguem!
No que diz respeito à celulite, li que a sua ação descongestionante estimula a melhoria da circulação sanguínea local. Uma vez que este mecanismo de ação é popular entre os anticelulíticos, achei que este produto podia ser promissor.

Resultados

Usei o Vicks Vaporub durante várias semanas 1 a 2 vezes por dia. Inicialmente estava previsto utilizar de manhã e à noite, mas o cheiro intenso a cânfora tornaram difícil a sua aplicação. Para além disso, quando se coloca uma quantidade maior, fica uma sensação de frescura que não é agradável (nem com o calor que hoje se faz sentir!). Estes foram os pontos negativos que podem levar logo à descontinuação do "tratamento".
Em relação aos resultados propriamente ditos, nas primeiras semanas a minha mãe comentou que as minhas pernas estavam mais firmes! Particularmente nessa altura, comecei a dar caminhadas e a tentar ter uma alimentação mais cuidada, o que pode ter influenciado.
Relativamente à massagem, idealmente devem ser circulares e de baixo para cima. Eu optei por comprar na Primark aquele rolinho que auxilia na massagem anticelulítica (custou apenas 1,5€!), pois achei mais prático.
Por fim, posso dizer que a continuação de utilização (e tendo em conta o cheiro, só os fortes conseguem continuar!!) não ajudou a tirar por completo a casca de laranja! Na verdade, os resultados foram melhores do que com outros produtos que já usei, mas não fez as maravilhas que queremos sempre que estes produtos façam!

E vocês, já utilizaram algum produto que tenha dado um resultado fantástico? Se sim, fico ansiosa por saber qual!! eheh..

Beijinhos


06 julho 2019

Restaurante Panorama - Luna Hotels

Olá a todos,

Novo mês, novas mudanças no blogue.
Na última publicação de Lisbon Restaurant Guide (que se pode ver aqui) senti duas grandes dificuldades: a primeira foi condensar tanta informação num espaço tão pequeno, pois menciono vários restaurantes. A segunda é que Portugal não é só Lisboa e há excelentes restaurantes por este país fora.

Por esse motivo, começa hoje uma nova era de reviews de restaurantes aqui no blogue.

O primeiro restaurante que trago é o Restaurante Panorama, localizado no Luna Hotel Turismo de Abrantes.


É lindo!

Assim que entrei fiquei assoberbada pela beleza das salas. A decoração era muito bonita e requintada. A vista também não ficava nada atrás: o rio Tejo a passar lá em baixo.. as casinhas ribatejanas e até igrejas bonitas se avistavam ao longe. O estádio de Abrantes e as localidades vizinhas também davam o ar da sua graça.





No que diz respeito à ementa, estava bastante simples.
Eu optei por lombinho de javali com cogumelos, migas regionais e batatas salteadas. Estava bastante saboroso e a quantidade foi a ideal para ficar satisfeita.


Aproveito ainda para mostrar fotografias das sopas de legumes e de peixe (valor à volta de 6,5€), assim como o prato de polvo à lagareiro e bife do lombo à Portuguesa com as "nossas batatinhas caseiras". O preço médio dos pratos é à volta de 15€.





Quanto às sobremesas, adorei as propostas como foi o caso da palha de Abrantes e das Fatias de Tomar (esta última mostro na foto de seguida). Apostar nos doces ou pratos regionais é algo que me agrada muito num restaurante. Contudo, e como já conheço estes pratos (não fosse eu desta zona), não consegui resistir a pedir o mil folhas de ovos moles. Consta ainda que o brownie de chocolate com gelado de baunilha também estava bom. O valor das sobremesas era à volta de 4-4,5€.




Sem dúvida é um restaurante que aconselho para quem quer ter uma experiência diferente nesta zona do interior do nosso país.

Beijinhos

23 junho 2019

Carinha laroca... e protegida!

O Verão já chegou!! Não se nota, mas já chegou!!
Por isso, aqui estou eu com um tema que cheira a férias, sol e descanso.

Apesar de existirem protetores que podem ser usados tanto para o rosto como para o corpo (ou que não devem, mas as pessoas usam à mesma - e eu já fui uma dessas pessoas durante muitos anos), é sempre bom conhecer e apostar em produtos que sejam indicados para cada zona, pois as necessidades da pele provavelmente não serão as mesmas no corpo inteiro: a pele do corpo pode ser seca e precisar de hidratação extra e a do rosto ser oleosa ou sensível, por exemplo.

Por esse motivo, hoje vim falar do que devemos apostar para a proteção solar no nosso rosto, de acordo com o tipo de pele que temos:

Pele mista, oleosa ou com tendência a acneica

Para este tipo de pele devemos usar protetores solares oil free ou em gel, sem gordura nem álcool. Deste modo, o protetor não obstrui os poros e matifica a pele, deixando-a sem brilhos indesejados. Acrescento ainda que existem protetores específicos para a pele com acne e que no caso da pele mista ou oleosa frequentemente aparece a designação "fluído". Lembro de há bastantes anos comprar um fluído que mesmo assim deixava a pele super brilhante. Hoje em dia já há formulações fantásticas que nem parece que temos um protetor solar no rosto.

Pele seca

Quem tem pele seca deve apostar em cremes ou leites visto que protegem e hidratam ao mesmo tempo. Usar um fluído pode deixar a pele com um défice lipídico e fazer com que a sensação de repuxar e de secura aumente consideravelmente. Para quem tem a pele seca ou desidratada, protetores solares com propriedades antioxidantes e calmantes também são boas opções.

Pele sensível ou reativa

Neste caso, o ideal será utilizar protetores minerais com um elevado índice de proteção e fórmulas hipoalergénicas. Isto porque os filtros químicos podem levar à sensibilização da pele. Antigamente os protetores minerais eram mais utilizados nas crianças: os conhecidos protetores difíceis de espalhar que deixavam a pele toda branca. Hoje em dia, já há imensas opções minerais exclusivas de rosto, cuja aplicação é  tão agradável como qualquer outro protetor.

Alerto ainda que, para quem não gosta de ter uma pele muito clara no início do verão, uma opção são os protetores com cor. Eu sou uma grande fã destes, particularmente dos compactos (o que aparece na fotografia abaixo com espelho), pois muitas vezes aplico dispensando a base. Embora o nível de cobertura não seja tão grande, ajuda sempre a dar um ar mais saudável e uniforme à pele. Neste sentido, já existem protetores para pele oleosa, seca, atópica, com manchas ou rugas.

Espero que tenha sido útil e... BOM VERÃO!

Beijinhos

08 junho 2019

Nos caminhos de Gaudi

Olá a todos,

Hoje trago, finalmente, a última publicação de Barcelona: o passeio propriamente dito.

Fomos apenas um fim de semana e aviso desde já que não é suficiente para ver todos os pontos turísticos da cidade! Vamos ver como correu:

Dia 1

Abarcámos nesta aventura numa sexta-feira, dia 3 de maio. Em Portugal estava um calor dos diabos... Em Barcelona estava frio e chuva! Segundo aviso: informaram-nos no  hotel que nos meses de Abril e Maio o clima é muito instável: num dia pode chover a potes e no dia seguinte fazer um sol radioso. Tal e qual o que nos aconteceu.
Portanto, no primeiro dia, desde que aterrámos até que nos deitámos nunca parou de chover! Vimos mais chuva num dia em Barcelona do que em Portugal no ano inteiro!
Por esse motivo, a primeira coisa que fizemos quando chegámos ao hotel, literalmente a pingar, foi perguntar onde podíamos encontrar chapéus de chuva. A rececionista encaminhou-nos para o género de uma Feira da Ladra enorme, o Mercat Fira de Bellcaire Els Encants. Pelo preço, comprámos dois chapéus de chuva, sendo que um deles a partir do momento em que abriu, nunca mais fechou!! eheh...
Ansiosos por visitar a cidade, o primeiro ponto turístico de eleição foi a Sagrada Família, pois pensámos que os monumentos em que pudéssemos entrar seriam o ideal a visitar naquele dia chuvoso. Mas.... quando perguntámos onde podíamos comprar o bilhete, avisaram-nos que apenas se compravam online e que naquele dia já não era possível!
Terceiro aviso: Comprem tudo online antes de irem para Barcelona!



Conformados, seguimos para a casa Battló, outra obra fantástica de Gaudi. Não tivemos sorte pois o exterior estava a ser remodelado. E... após 20-30 minutos numa fila à chuva, quando estávamos próximos da entrada, percebemos que era a fila errada: aquela era para quem já tinha o bilhete! Acabámos por programar a visita para o dia seguinte.
Não nos dando por vencidos, a pé, dirigimo-nos para a casa Milá, também chamada de La Pedrera. Optámos por vê-la só por fora e reservar a vista daquelas lindas chaminés para uma próxima viagem. É um edifício lindo!


Posteriormente, passeámos pelas famosas Ramblas...


...e fomos ter a um dos locais mais fantásticos que vimos naquele primeiro dia: o Mercado La Boqueria. Está tudo tão arranjado e tão apelativo que apetece comprar tudo! Embora tenha a parte do talho, da peixaria e por aí fora como todos os mercados, o que salta logo à vista é mesmo a fruta. Pelos baixos valores, é mesmo pecado não provar aqueles sumos. Nós brindámos com sumo de framboesas e côco que estavam absolutamente deliciosos.





Já cansados e com os pés molhados, acabámos por não nos aventurar muito no Bairro Gótico e fomos a pé (mais molhados já não ficavamos) até ao hotel de forma a desfrutar das lindas paisagens citadinas que Barcelona nos oferece.

Dia 2

Acordámos com um lindo dia de sol! Até parecia que o dia chuvoso da véspera tinha sido mentira!
Esta manhã foi reservada aos amantes de futebol: uma visita completa e com direito a áudio-guia no Camp Nou, o estádio do Barcelona. Para falar a verdade, até estava curiosa para ver este museu, uma vez que já fui ao do Sporting e, na altura, referiram que apenas o do Barcelona era maior que o nosso. Tendo em conta todas as modalidades de cada clube, não tenho a certeza que seja mesmo maior, mas posso ser suspeita.



Posso adiantar que a visita ao estádio permite estar em todos os sítios a que temos direito: três partes diferentes das bancadas, sendo que achei super interessante ver uma pequena capela no túnel que dá acesso ao relvado, passagem pelos balneários, pela sala de imprensa e no final vamos parar, como não podia deixar de ser, a uma loja enormíssima que quase parece um centro comercial.



Depois de almoçar nas imediações do estádio, dirigimo-nos a Montjuïc, onde pudemos usufruir de vistas lindíssimas da cidade. Chegámos lá com facilidade através de um funicular e passeámos calmamente pelos jardins. O Castelo ficou por ver, pois tínhamos o tempo contado e estava uma fila enorme para o teleférico.



De seguida descemos e fomos visitar (finalmente) a casa Battló. É uma visita mágica e mais não vou adiantar para não servir de spoiler a quem nunca visitou. Particularmente para os entendidos de arquitetura, vão tirar as dúvidas de que Gaudi era mesmo um génio!



Daqui seguimos cheios de energia para a inacabada Sagrada Família, já com os bilhetes que nos davam acesso ao interior. Por fora é absolutamente fabulosa, repleta de pormenores fantásticos. Por dentro não fica atrás! Fiquei maravilhada com o teto e com os vitrais, estrategicamente dispostos que nos proporcionam brilhantes espetáculos de luzes. Volto a repetir: Gaudi era um génio!




Neste dia decidimos jantar no Bairro Gótico. Tenho pena de já ser de noite e não ter conseguido tirar fotografias daquelas ruas estreitinhas, mas tão características. Vale muito a pena passear por lá. Depois de jantar passámos pela imponente Catedral de Barcelona que se situa no Bairro Gótico e seguimos alegremente para a famosa Font Màgica de Montjuïc que promete um fantástico espetáculo de cores e som. Mas... chegámos com uma hora de atraso! Portanto, novo aviso: não fazer como nós e ver a que horas é o espetáculo, que varia consoante a altura do ano.



Dia 3

Deixámos esta manhã para visitar o Parc Güell. Fomos de metro e a subida desafia a condição física de qualquer pessoa. Mas chegámos de boa saúde e a tempo de passear naquele pedaço de natureza. Mais uma vez, tivemos direito a vistas lindas de Barcelona. Para desilusão e como tínhamos que ir para o aeroporto, não tivemos coragem de nos meter nas filas infindáveis para as famosas varandas. Tiveram mesmo de ficar para a próxima.




De seguida fomos buscar as malas ao hotel, passando antes pela Sagrada Família para fotografar o outfit para o post Fantasia em Barcelona. É verdade... podemos não ter visto tudo mas a Sagrada Família não foi uma delas!! eheh..

Outras informações úteis

Como deslocar: Quando chegámos e quando partimos, utilizámos o metro de e para o aeroporto. O valor de cada bilhete é 4,6€. Embora em todas as paragens onde saímos não fosse preciso passar o bilhete à saída como acontece em Portugal, no aeroporto é necessário, pelo que é mesmo preciso ter o bilhete específico do aeroporto. De resto, é uma cidade que dá perfeitamente para conhecer a pé. Como tivemos azar no primeiro dia com a chuva, no segundo dia acabámos por comprar os bilhetes com 10 passagens (custa pouco mais de 10€) para conseguirmos chegar mais rápido aos sítios.

Onde ficar: O hotel onde ficámos hospedados foi o SM Hotel Teatre Auditori. Penso que ficava muito bem localizado, mas não foi de longe o melhor onde ficámos. Para falar a verdade, esperavamos mais e melhor tendo em conta o preço. Contudo, não podemos esquecer que Barcelona é uma cidade cara! Quanto ao pequeno almoço, foi satisfatório.

Onde comer: Desta vez, e como já vai uma publicação extensa, optei por colocar esta informação à parte. Podem consultar aqui: Barcelona - onde comer?.

E mais uma vez aviso: comprar previamente os bilhetes pela internet é a opção mais inteligente. Filas, filas, filas é o que podem esperar. Se já estava assim no primeiro fim de semana de maio, nem imagino como será na época alta!

Pode ter sido uma viagem cheia de peripécias, mas a verdade é que são estas que ficam na memória. E com tanto que ficou por ver... como não regressar àquela linda cidade??

Beijinhos